Páginas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Falta

Audrey Hepburn
 
Sim, eu sinto falta. Custo a admitir, finjo que não estou nem aí, mas sinto. Falta do cheiro, do toque e das brincadeiras com as palavras. Falta das conversas sem sentido, dos beijos de despedida e dos abraços apertados. Falta até das coisas ruins, das implicâncias e reclamações. Sinto falta do frio, do whisky e da madrugada. Falta de esbravejar com você e de erguer os pés para te beijar melhor.  Falta da sua respiração  no meu ouvido e de ajeitar seus cabelos. Falta da sua mão segurando a minha. Falta de me enxergar em seus olhos. Sim, falta, mas faz de conta que não falta nada.

PS: "Antes que pudesse me assustar e, depois do susto, hesitar entre ir ou não ir, querer ou não querer -  eu já estava lá dentro. E estar dentro daquilo era bom. Não me entenda mal  - não aconteceu qualquer intimidade dessas que você certamente imagina. Na verdade, não aconteceu quase nada." (Caio F. Abreu).

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aprendizagem

                          

PS: "Por entre fotos e nomes/ Os olhos cheios de cores/ O peito cheio de amores vãos/ Eu vou/ Por que não, por que não..." (Caetano Veloso)

Vai perder??


PS: Ajudando a divulgar esse evento, não tenho dúvidas de que vai ser tudo de bom, o Dani e a Fabi são demais!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Porque não vivo sem música...

Copyright Todos os direitos reservados a mestissa
Copyright Todos os direitos reservados a feliipenogueiira

PS: "Onde há música não pode haver maldade." (Miguel de Cervantes)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Here comes the sun

George Harrison era o caçula dos Beatles e autor de belíssimas músicas, dentre elas "Here comes the sun" e "Something". Como a chuva deu uma trégua aqui em Jundiaí e eu adoro um bom dia de sol, aí vai!


PS: "Here comes the sun/ And I say/ It's all right... "(George Harrison)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Doações para as vítimas das chuvas em Jundiaí

Segue abaixo a matéria de hoje do Jornal de Jundiaí com o endereço dos postos que estão recebendo doações de roupas, móveis, alimentos e material para higiene para as vítimas da chuva aqui na cidade.


População está disposta a ajudar

VALTER TOZETTO JR [LEGENDAS]<CF504>Entre caixas de alimentos, água e roupas a diretora Maria Olívia Gonçalves faz a triagem do material recebido

Cama, colchão, guarda-roupa e mesa com cadeiras compõem o mobiliário básico para uma casa. Ainda faltam fogão e geladeira para que a família possa preparar e guardar os alimentos. Tudo isso é pensado pelas equipes do Fundo Social de Solidariedade (Funss) na tentativa de proporcionar um recomeço para aqueles que perderam ou tiveram de deixar para trás o pouco que conseguiram conquistar por causa das fortes chuvas que atingiram Jundiaí e desabrigaram famílias inteiras no Jardim São Camilo e Balsan na última semana. Esse pessoal conta com a ajuda da população, que tem se engajado colaborando com doações.
Em esquema de plantão, a sede de Fundo Social ficou aberta para receber donativos neste final de semana. Entre caixas de alimentos, roupas e colchões, a diretora Maria Olívia Gonçalves fazia a triagem do material recebido. "Separamos tudo. As roupas são dividas por sexo e tamanho. Quando recebemos o pedido feito pelas assistentes sociais, encaminhamos ao menos cinco trocas de roupas para cada integrante da família", explica.
Durante todo o dia de ontem a movimentação foi intensa nos pontos de recebimento. Além da entrega feita pela população, caminhões da entidade faziam a coleta de móveis. "Vamos precisar de mais um galpão para guardar os móveis que estão chegando pelas doações", adianta a diretora.
A entidade não tem contabilizada a quantidade de famílias que já foram atendidas com as doações. Durante esta semana, o recebimento de doações continua e pode ser feito em três endereços: rua Zacarias de Góes, 550; rua Senador César Lacerda de Vergueiro, 111, Jardim Ana Maria; e rua Capitão Cassiano de Toledo, 92, Chácara Urbana, das 8 às 17 horas.
Segundo a diretora, a expectativa é de conseguir mais móveis e colchões para que as famílias, quando receberem um novo lar, possam contar com um pouco de conforto e segurança. 
Abrigo - Mais de 100 famílias estão abrigadas em centros esportivos e escolas, já que as casas de alveria em que moravam foram condenados depois de vistorias feitas pela Defesa Civil e técnicos da Fundação de Municipal de Ação Social (Fumas).


 Fonte: http://www.portaljj.com.br/interna.asp?Int_IDSecao=1&int_id=136817

Ajuda para as vítimas da chuva no RJ


No blog Little Doll House, a Aline fez dois posts onde relaciona uma série de locais que estão recebendo doações para as vítimas das chuvas, bem como as contas bancárias para que pessoas de outros estados possam fazer suas doações. Ela também destacou a situação dos animais, que foram abandonados devido a essa situação. Por favor, dêem uma passada lá, os links estão logo abaixo. Qualquer ajuda é bem vinda. 
Vamos ajudar, gente!


PS: "Oh, I get by with a little help from my friends,/ Mm, I get high with a little help from my friends,/ Mm, Gonna try with a little help from my friends." (The Beatles)

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Será?

"- Hello, Ringo!"

Hoje eu estava lendo algumas notícias que rolaram no final do ano passado sobre uma possível vinda de Ringo Starr ao Brasil em Junho de 2011. Ainda não existe nada confirmado, mas bem que poderia ser verdade, né! Imagine, contar para os meu netos que vi Paul e Ringo?? Hahaha... Adoraria ir!

Texto premiado na 5ª Olimpíada de Redação de Jundiaí (2009): "E pur se muove"


Esse texto foi contemplado com 11º lugar na "5ª Olimpíada de Redação de Jundiaí", em 2009 e publicado em 2010. O tema do concurso era astronomia e eu pensei "Caramba, o que vou escrever sobre isso?". Pesquisei um pouco sobre o surgimento dessa ciência e relembrei algumas coisas de Fundamentos do Ensino de Ciências, lá da Pedagogia. Acabei produzindo um texto mais didático e informativo, mas também relacionando o tema com história de Galileu Galilei - considerado o pai da astronomia.

"E pur se muove"

A astronomia sempre despertou o interesse e a curiosidade humana. A princípio, quando o ainda era nômade, o homem realizava uma prática comum até os dias de hoje: observar o céu. Posteriormente, essa simples observação passa a ser acompanhada e orientada pelos mais diversos questionamentos como, por exemplo, “O céu é infinito? Como surgiram as estrelas? O Sol gira em torno da Terra? Por que a Lua só aparece à noite?”. Essas e tantas outras questões impulsionaram a curiosidade humana e proporcionaram o desenvolvimento da astronomia para que ela se tornasse a ciência que conhecemos atualmente.
Essa ciência teve uma grande contribuição para o a sobrevivência e para a evolução cultural do homem. Dentre suas contribuições, podemos destacar que a astronomia nos auxiliou a desvendar a sucessão de dias e noites, a estabelecer a contagem do tempo, a utilizar as constelações para localização geográfica, a subsidiar o desenvolvimento da agricultura e influenciou o desenvolvimento de diversas áreas do conhecimento, como a Física e a Matemática.
Quando o homem tornou-se sedentário, estabelecendo residência fixa e desenvolvendo meios para sua subsistência, facilitou os registros das observações que fazia do céu. Há mais de dois mil e quinhentos anos, os pensadores gregos já se preocupavam com a astronomia e não só eles, pois ela também foi objeto de estudo de outras civilizações, como maia, egípcia, judaica, babilônica, indiana e chinesa. Paralelamente às investigações científicas, o homem desenvolveu e aprimorou os instrumentos que o ajudariam a desvendar o seu universo, unindo conhecimento tecnológico e saber teórico.
Até o século XVI, era aceita a hipótese do geocentrismo desenvolvida por Ptolomeu, na qual a Terra era considerada o centro do universo e todos os astros giravam ao seu redor. Em 1543, Copérnico publicou um livro no qual fundamentava uma tese completamente diferente, ainda sem provas claras, denominado heliocentrismo. Esse foi um grande passo para a transformação não só da ciência que estava se desenvolvendo, mas de toda a sociedade. Copérnico afirmou que a Terra girava em torno do Sol e não o que se afirmava na época.
Posteriormente, Galileu Galilei, que se tornaria um dos principais nomes da astronomia, ouviu dizer que, em meados de 1608, o holandês Hans Lippershey teria inventado o primeiro telescópio. Motivado por essa descoberta, Galileu se empenhou na construção e no aprimoramento de novos instrumentos que facilitassem as pesquisas. A princípio, construiu um telescópio capaz de aproximar objetos em até seis vezes e, posteriormente, conseguiu aprimorá-lo, fazendo com que aproximasse um objeto em trinta e duas vezes.
Galileu começou a fazer suas observações do céu e as suas primeiras descobertas. Descobriu estrelas invisíveis a olho nu; que superfície lunar não era perfeita e cristalina, pois apresentava crateras e montanhas em sua superfície e; descobriu as luas em torno de Júpiter, que o fizeram concluir que poderiam existir outros centros de movimento que não fossem a Terra. Após descobrir que Vênus passa por um ciclo completo de fases, assim como a Lua, Galileu concluiu que isso só seria possível se Vênus e Terra orbitassem o Sol. Em 1610, Galileu publicou o livro “Sidereus Nuncius” (Mensageiro Sideral), descrevendo suas observações astronômicas.
Em 1612, Galileu passou a observar o Sol pelo método de projeção, idealizado por seu amigo Benedetto Castelli e descobriu que esse astro apresenta manchas vermelhas em sua superfície que dão volta em torno de si mesmo, ou seja, que o sol também realiza o movimento de rotação.
Porém, suas descobertas desagradaram a Igreja, pois ameaçavam alguns de seus principais fundamentos teológicos. De acordo com os religiosos daquela época, as escrituras sagradas impunham a imobilidade da Terra. Inclusive, Galileu chegou a ser advertido pelo papa, mas prosseguiu com seus estudos mesmo sabendo que Giordano Bruno havia sido queimado na fogueira por afirmar que o universo é infinito e que poderiam existir outros planetas habitáveis além da Terra.
Em 1632, Galileu publicou o livro “Diálogo entre os dois principais sistemas do mundo”, que abordava o geocentrismo e o heliocentrismo e, que em 1633 foi proibido pelo papa, influenciado por seus opositores. Ele foi chamado a Roma e interrogado, sendo forçado obrigado a abjurar para não ir para a fogueira da Inquisição, negando suas próprias convicções. Mesmo assim, Galileu foi condenado à prisão perpétua, que posteriormente foi comutada em prisão domiciliar. Mais tarde, Galileu retomou a sua escrita e investigações, tornando-se também precursor da engenharia mecânica e da dinâmica. Ao lado de Kleper, Galileu se tornaria inspiração para tantos outros estudiosos, inclusive para Isaac Newton.
Em 1637, Galileu ficou cego e, recebeu a publicação de seu livro em 1638, quando não poderia mais enxergar o universo ao seu redor, mas o enxergava dentro de si mesmo. De lá para cá, a astronomia evoluiu significativamente, bem como a tecnologia que permeia suas descobertas. Hoje, o homem já rompeu a barreira do espaço, realizando várias missões espaciais, inclusive, instalando há dezoito anos, o telescópio espacial Hubble, localizado há quinhentos e sessenta quilômetros da Terra.
Segundo uma lenda, ao final de seu juramento de que não pronunciaria mais heresias, dentre elas de que a Terra se movia, Galileu teria sussurrado “E pur se muove”, ou seja, “mas ela se move”, assim como a própria ciência e a curiosidade humana, que continuam se movendo incansavelmente.

PS: "Blue moon, you saw me standing alone/ Without a dream in my heart/ Without a love of my own..." (The Marcels).

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Filosofia Peanuts



PS: “Os nossos sonhos e sustos sopram em nossos ouvidos quando menos esperamos.” (Lya Luft)

sábado, 8 de janeiro de 2011

Happy Birthday!

Elvis completa hoje 76 anos. Sim, completa, pois foi eternizado por sua obra.

 
 "Suspicious Minds"

PS: "Eu fico pulando e dançando porque é assim que me sinto. Não poderia cantar uma nota sequer parado." (Elvis Presley)

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Se...


Se me pergunta “Afinal, o que quer comigo?” e, se na falta de respostas, de destreza com as palavras, lhe respondo “Não sei, eu não sei o que quero”, por favor, não se assuste. Pode ser que não saiba o que quero comigo mesma, o que espero de mim ou talvez essa resposta esteja escondida e eu ainda não soube encontrá-la.
Se as palavras me faltam, se não sei me expressar, por favor, paciência. Pode ser que meus olhos estejam me distraindo, que meus lábios não descrevam os meus pensamentos ou que eu realmente não consiga mais pensar em nada quando está em minha frente.
Se me beija assim, de repente, se por um momento fico calada, te olhando, meio desconcertada, mais uma vez, por favor. É que a vida é mesmo surpreendente, nem sempre o que acontece em nossa frente é aquilo que conseguimos ver.
Se não encontro as respostas, não entendo as perguntas, é que sou tão profunda, mas me sinto tão vazia, então..., por favor. Pode ser que seu perfume ainda esteja em minha blusa, minha voz se confunda com a sua, simplesmente me deixando perdida nessa mistura de tudo e nada que somos nós.

PS: "Sei lá o que te dá que não quer meu calor/ São Jorge por favor me empresta o dragão/ Mais fácil aprender japonês em braile/ Do que você decidir se dá ou não..." (Djavan)

domingo, 2 de janeiro de 2011

Have You Ever Seen The Rain?

"Cantando na chuva" (1952), com Gene Kelly e Debbie Reynolds

Está uma chuvinha boa para dormir aqui em Jundiaí... será que é porque está chegando a hora de voltar ao trabalho e as festas acabaram?? Mas o ano está só começando e será tudo de bom!

PS: "I want to know, have you ever seen the rain?
       I want to know, have you ever seen the rain?
       Comin' down on a sunny day" (Creedence)