Páginas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Gosto-te

 Cena do filme "Bonequinha de Luxo", com Audrey Hepburn e George Peppard (1961)
Gosto-te pelo que é
E o que não é
Pelo que em ti falta
E que se faz presente
No que a mim é igual
E mais ainda diferente
Gosto-te no passado
(quem dera no futuro)
Seja no claro
Ou no escuro
Nos dias frios
Ou quentes
Quando estamos juntos
Ou ausentes
Gosto-te na música
E no gosto
Na arte terminada
E no esboço
No café
E no almoço
Gosto-te no carnaval
E no ano novo
Ainda mais agora
E amanhã de novo
No tormento
E na calmaria
Seja noite
Ou seja dia
Gosto-te na loucura
E na sabedoria
No que enxergo
E que não vejo
No forte abraço
E no longo beijo
Gosto-te homem
E menino
De um jeito que aprendo
E que ensino
Seja na rua
Ou na lua
Gosto-te na praia
E na serra
Na paz
E na guerra
Nas quedas da cachoeira
E ao pé da lareira
Gosto-te nos versos
E na dança
Na descoberta
Que não cansa
Seja sempre
Ou nunca mais
Gosto-te no talvez
E na certeza
No estranho
E na beleza
Gosto tanto
Que nem sei
Se gosto-te pouco
Ou gosto demais

(Carmen -  Fevereiro/2010)

PS: "Faz um bom tempo que a vontade de escrever e de poetizar se resume a você."(Caio F. de Abreu)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Come te vene `capa e di: “i love you!?“

 "We no speak americano" (Yolanda Be Cool & Dcup): Achei esse clipe uma graça!


       "Comme te po' capì chi te vò bene            "Como pode entender o que está dizendo
  Si tu le parle 'mmiezzo americano?              se você só fala meio americano?   
  Quando se fa lammor sotto 'a luna               Quando você faz amor sob a lua,   
       Come te vene `capa e di:                       como te passa pela cabeça dizer:
    'i love you!?'"                                              'I love you!?'"  



PS: "Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo;aos lados, em cima, embaixo, por fora e por dentro de mim.Dilacerando felicidades de mentira,desconstruindo tudo o que planejei, abrindo todas as janelas para um mundo deserto.É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias,me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos,ilumina o corredor por onde passo todos os dias." (Caio F. Abreu)

sábado, 16 de outubro de 2010

Outras coisas que também faço

Acho que somos capazes de fazer quase tudo nessa vida. Sei lá, como desenhar, cantar, escrever, recortar, fazer arte, cortar o cabelo, tocar pandeiro, amar incondicionalmente... rs! E muitas vezes eu me meto a fazer coisas diferentes.

Sempre gostei de desenhar, mas as vezes não sobra muito tempo para isso. Procurando alguns desenhos para postar no blog percebi que, apesar de desenhar bastante durante minha vida, não tenho muitos desenhos guardados, fora alguns de quando eu fazia Design de Interiores, que estão num lugar de difícil acesso graças à interminável reforma de casa! Aí vão alguns rabiscos - não, eu não tenho nenhuma técnica, simplesmente desenho...

FE - Unicamp (Carmen Nogueira - 2008)
Esse é muito especial! Um desenho de observação da Faculdade de Educação, em que eu estava sentada no gramado da Física, na Unicamp, junto com a Marcela, após uma aula da tarde. Não lembro a data, mas deve ter sido em Junho/2008.

Os próximos são deste ano, de Junho. O primeiro é um desenho de memória, acho que foi na época que tirei os sisos - detalhe da folha de caderno...  rs! Não tem nome, não tem nada, mas, particularmente, gosto dele, acho que me pasa uma sensação de paz, sossego, como se  para essas pessoas não existesse mais ninguém no mundo.
(Carmen Nogueira - 04/06/2010)

O segundo remete à minha descendência (os Hermosos, pais da minha avó materna, Dona Angela, que amo demais e; os Alvares Nogueira pelo meu avô paterno; fora a italianada dos Spuris, mas essa já é outra história). O nome Carmen não foi à toa...  Além de ser um nome espanhol, meu pai escolheu por causa do livro "Carmen", de Prósper Mérimée, em que a tal de Carmen era uma ciganinha do mal - a personalidade forte é mera coicidência. Talvez eu fosse essa aí da esquerda se meu avô não tivesse embarcado num navio, em meados de 1890 (é isso mesmo!) e deixado Pontevedra, na Espanha, né Sr. Ramón?  
 

A Espanhola (Carmen Nogueira)

Esse cara meio beatle me veio à mente justamente num período que e estava lendo "The Beatles - A história por trás de todas as músicas" (e ainda não acabei...). Era para brincar - óculos escuros, vestido de poá, pé levantado - queria bem cara de "desenho" mesmo...
(Carmen Nogueira)

Bom, é isso!

PS: "O que você precisa/ É de um retoque total/ Vou transformar o seu rascunho/ Em arte final..." ("Como eu quero" - Kid Abelha).

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sobre ser professor


Não posso escrever sobre ser professor partindo da minha experiência profissional, uma vez que ainda estou na etapa entre recém-formada e professora de verdade, mas posso escrever sobre a perspectiva de quem já sentiu o prazer de ensinar e vislumbrar o brilho nos olhos de quem estava aprendendo.

Para mim, ser professor é muito mais do que estar a frente da sala de aula. 
Ser professor é realmente ensinar, abrir horizontes, despertar a curiosidade, a consciência e possibilitar novos sonhos. É fazer com que o conhecimento seja transformador e libertador, um instrumento para a emancipaçao do sujeito.  É sobretudo comprometer-se com ideais em prol da transformação social.
Ser professor é ser provocador, fazer o outro pensar sobre sua própria realidade, é ser transformador. É enxergar que na sua frente não estão "coisas", mas pessoas que pensam, que falam e que sentem como você. 

Professor é uma profissão que sempre respeitei e admirei muito, bem antes de pensar que um dia poderia me tornar uma professora. Atualmente, eu diria que é preciso ter coragem para ser professor.

O meu carinhoso "obrigado" à todos os/as professores/as que fizeram a diferença em minha vida, que contribuiram para a minha formação pessoal e intelectual e a todos os meus amigos professores que me fazem acreditar que nosso esforço vale a pena. Parabéns pelo nosso dia!

E fica o singelo desejo de que, talvez um dia, eu possa ser para alguns o que muitos deles foram para mim.

PS: "É preciso amor/ Pra poder pulsar/ É preciso paz pra poder sorrir/ É preciso a chuva para florir..." (Almir Sater e Renato Teixeira). 

sábado, 9 de outubro de 2010

Os 70 anos de John Lennon

John Lennon
Hoje John Lennon completaria 70 anos se estivesse vivo. Ele foi assassinado covardemente, aos 40 anos, por um homem que dizia ser seu fã - Mark Chapman. 
"You may say, I'm a dreamer.
But I'm not the only one."
John representa, para mim, uma pessoa fascinante, intensa, contraditória, de extrema sensibilidade, o que pode ser visto através de suas composições, tanto em parceria com Paul quanto em carreira solo, dentre elas "Help!", "You've got to hide your love away", "All you need is love", "Imagine", dentre muitas outras.
Já contei aqui o meu primeiro contato com as músicas de Elvis, com Lennon  também teve um início. Eu já tinha ouvido o "yeah, yeah, yeah" dos Beatles, mas a primeira música da carreira solo que eu ouvi foi "Imagine", em 1994, levada pela professora Marta - que dava aula para o meu irmão, mas que colocou a música como uma homenagem pela morte do Senna. Enquanto tocava a música, ela começou a chorar e aquilo me emocionou. Mais tarde fui ler a tradução no caderno do meu irmão e, desde então, nos apaixonamos por essa música e ficávamos cantando no quintal de casa.
Enfim, Lennon cantou a vida, cantou o amor, desejou um mundo melhor e, embora não exista mais  fisicamente, sempre será lembrado pelo legado que deixou. 
 
Só para registrar, uma outra música que acho muita bonita é "Beautiful Boy" - se um dia eu tiver um filho, vou cantá-la para ele dormir "Close your eyes/ Have no fear/ The monster's gone/ He's on the run and your daddy's here...".


PS: Parabéns para a Marcela, que nasceu no mesmo dia do John - deve ser por isso que ela é uma pessoa tão excepcional - grande amiga! 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Paul McCartney no Brasil... Yeah, yeah, yeah!!!

Agora é verdade! Paul estará em São Paulo, fazendo uma apresentação no dia 21/11 - mês do meu aniversário! Isso vai entrar para a história... já pensou daqui a alguns anos eu contando para os meus netos (porque netos sempre são mais legais que filhos e se interessam pelas histórias dos avós...)? Hahaha... Demais!       
E se tudo der certo, eu estarei nesse show, super animada como as mocinhas da década de 60... Já que não tive a sorte de pode assistir o quarteto de Liverpool, pelo menos um Beatle, né! Seria um presentão de aniversário, heim!

PS: "So hold me tight/ tonight, tonight/ it's you,/ you, you, you, oo..." (Hold me tight - Lennon/ McCartney).